Os Estágios de Oxidação da Estátua da Liberdade

A estátua da liberdade é revestida por uma fina camada de cobre – e essa era sua cor original. Entretanto, o passar dos anos fez com que a estrutura do monumento se oxidasse.

O processo de oxidação do cobre é bastante comum e ocorre quando este é exposto ao oxigênio, gerando uma crosta na coloração esverdeada. Com os anos, essa crosta foi se tornando parte da Estátua da Liberdade ao ponto de que é quase impossível imaginá-la de outra cor.

Entretanto, outros elementos químicos entraram em jogo para que a estátua adquirisse essa coloração, como explica um vídeo publicado pelo canal do Youtube Reactions. Veja abaixo, com opção de selecionar as legendas em português.

Estima-se que o processo pelo qual o monumento passou tenha levado cerca de 30 anos. Durante esse período, a estátua foi mudando de cor aos poucos, até ganhar o tom pelo qual é conhecida hoje.

É importante lembrar que a oxidação não gera danos à estrutura. A camada resultante dela inclusive ajuda a proteger o cobre de outro processo: a corrosão.

Estátua da Liberdade em 1886. Foto colorida digitalmente por Jecinci

Foto: Detroit Photographic Company

]